Lagartixa-ibérica (Podarcis hispanica)

Este é um  lagarto de tamanho médio, que se pode encontrar com alguma facilidade em muros, montes de pedras e ruínas, onde encontra abrigo. Apresenta uma coloração muito variável.

 [© Daniel Santos, todos os direitos reservados]

Taxonomia
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Lacertidae
Género: Podarcis
Espécie:Podarcis hispanica

Ecologia
Estatuto de Conservação: “Pouco Preocupante”.
Existe praticamente por toda a Península Ibérica, na costa mediterrânica francesa e em áreas costeiras montanhosas do Norte de África habitando todo o tipo de florestas e zonas costeiras.
Prefere áreas abertas de substrato predominantemente rochoso, como prados e olivais ou carvalhais dispersos. É também muito comum em zonas urbanas. Distribui-se desde o nível do mar até aos 1600 metros de altitude. Utiliza as construções em ruínas, os muros e rochas como refúgios.
Tem como inimigos naturais sardões, cobras, rapinas, garças, cegonhas, picanços, saca rabos e a gineta.
É uma espécie insectívora, alimentando-se principalmente de centopeias, moscas, escaravelhos, aranhas, gafanhotos e outros invertebrados. Em meios urbanos pode também consumir restos de alimentos e outros detritos.

Morfologia Externa e Identificação
Comprimento: Cabeça – cauda: alcança os 18 cm.
È um lagarto de tamanho médio com a cabeça achatada e com órbitas salientes (características que diagnosticam a espécie), sendo a sua coloração muito variável.
No dorso, os indivíduos podem apresentar tons que vão desde o castanho claro ao verde intenso. Nos flancos, é comum a presença de um reticulado mais escuro, verde, castanho ou preto.
Nesta espécie o dimorfismo sexual é perceptível ao nível do tamanho, sendo os machos maiores do que as fêmeas, e na coloração, sendo o reticulado dos flancos em geral menos intenso nas fêmeas.
Os juvenis são muito parecidos com os adultos apenas diferindo normalmente na menor pigmentação ventral e, claro, no tamanho.

 [© Daniel Santos, todos os direitos reservados]

Reprodução
É uma espécie territorial, em que cada macho protege o seu território de outros machos, existindo aqui uma relação de competição pelas fêmeas.
A época de reprodução inicia-se em Fevereiro estendendo-se até Abril. Durante o acasalamento os machos  mordem as fêmeas de maneira a conseguirem posicionar-se correctamente para a cópula. Como resultado desta conduta um pouco violenta as fêmeas ficam com marcas destas mordeduras que são bem visíveis nas escamas do ventre normalmente de cor mais clara. As posturas variam entre 1 a 5 ovos, verificando-se este fenómenos de Abril a Junho. Deste modo, as fêmeas são capazes de efectuar 2 a 3 posturas por ano. O período de incubação é de cerca de dois meses, dando-se a eclosão a partir de Junho até Setembro.
A longevidade desta espécie é de aproximadamente três anos.

Bibliografia

http://naturlink.sapo.pt/Natureza-e-Ambiente/Fichas-de-Especies/content/Ficha-da-Lagartixa-iberica?bl=1

http://anfibioserepteis.blogspot.pt/search/label/25%20-%20Lagartixa-ib%C3%A9rica

Almeida, P. e outros. 2005. Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal. ICNB

About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s